Álvares Rubião


Luiz José Álvares Rubião foi um jornalista e escritor mineiro. Autor dos livros A pesca no estado de Minas (1912), Álbum de Varginha (2018)  e O leão do mar (1946).
Vida
Luiz José Álvares Rubião Nasceu na cidade de Carmo de Minas, em 08/08/1876, mas fez sua atuação como agrimensor e intelectual em Varginha. Ingressou na literatura sob o pseudônimo de Diabo azul. Perdeu a esposa cedo e com ela teve três filhos,  Aurélia Rubião, Josefina Rubião e Augusto Rubião, também escritor.

A pesca no estado de Minas Gerais
O livro procura mapear peixes do Sul de Minas e sistemas de pescas regionais. A metodologia usada provém da experiência do próprio autor, um homem que, durante toda a vida, praticou e amou a arte da pesca. Segundo Roberto Sales, nessa obra, Álvares Rubião "descreve a morfologia de cada espécie, os hábitos alimentares, curiosidades, a melhor forma de degustação da carne e, em alguns casos, apresenta aforismos, brocardos, ditos e quadras populares ilustrativos" retirados do universo dos amantes da pescaria. A obra faz parte do Acervo Cultural Amilcar Martins e se encontra localizada na Coleção Mineiriana.


O leão do mar
A obra reuniu contos que o autor tinha espalhado em jornais e coletâneas, ou rascunhados em casa. O volume contém 15 contos em tom satírico e humorístico. São eles: O leão do mar, As calças do Matias, O Sucão de Catingueira, O comprador de bondes, Um almoço que escorrega, O lobisomem, A desforra do Frutuoso, A traidoria, O dia dos leões, João Macaco, Agraços da vida, O largatão de Tia Chica, Os eixos, Ó de casa e O diabo no convento. Os contos falam de maneira bem humorada sobre o homem do interior e seus problemas:
" As situações apresentadas são as mais prosaicas da vida cotidiana, essas que parecem desprovidas de grandeza e glória e, no entanto, movem o mundo: o trabalho nos engenhos de açúcar e fazendas, a criação de animais domésticos para subsistência familiar, as mulheres com seus fogões, lenha e panelas, os fandangos noturnos dos arraiais, as atividades da caça e da pesca, missas e orações na igreja, etc". 
O livro chegou a concorrer como finalista ao prêmio literário Otton Lynch B de Mello, da Academia Mineira de Letras ao lado do Ex-mágico, do sobrinho Murilo Rubião. Na ocasião, Álvares Rubião chegou a escrever ao seu irmão Eugênio sugerindo que o prêmio fosse dividido entre os dois autores, tio e sobrinho. O júri, entretanto, tinha ideias próprias e entregou a totalidade do prêmio ao mais talentoso Murilo Rubião.

Legado
Álvares Rubião foi escolhido como patrono da décima quarta cadeira da Academia Varginhense de Letras, Artes e Ciências.

Referências
Rubião, Álvares (1912). A pesca no estado de Minas. Juiz de Fora: Typographia Brasil. 157 páginas
«Publicações sobre a história de Varginha». Fundação Cultural de Varginha - MG. 24 de fevereiro de 2017
Rubião, Álvares (1947). O leão do mar. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira. 243 páginas
Sales, José Roberto (2011). Aurélia Rubião. Vida e arte. Varginha: Edição do autor. pp. p. 67
«ICAM - Instituto Cultural Amilcar Martins». www.icam.org.br (em inglês). Consultado em 6 de dezembro de 2017
Cabral, Cleber Araújo (2016). Mares interiores: correspondência de Murilo Rubião e Otto Lara Resende. Belo Horizonte: Autêntica. pp. 224 p.